Skip to main content

Uma experiência clandestina, cozy e deliciosa no Rio Comprido: Mixxing Bar

Escondido no Rio Comprido, o Mixxing Bar vai surpreender você. Dizer que ele está escondido não é exagero, até porque essa é mesmo a proposta do lugar. 

Inspirado nos bares secretos de Nova York, ou também conhecidos como speakeasy (PAUSA PARA AULA DE HISTÓRIA: nos anos 20, a Lei Seca foi uma tentativa de proibir a posse e a ingestão de álcool nos Estados Unidos. Mas, como não são só os brasileiros que gostam de dar um “jeitinho”, muitos bares clandestinos surgiram na época), o estabelecimento carioca fica em um casarão antigo, entranhado na região central do Rio de Janeiro. No mesmo prédio, durante o dia, funcionam escritórios e um salão de beleza, mas ao subir a íngreme escadaria depois das 19h encontramos três ambientes pouco iluminados, música e um cardápio extenso de drinks.

Conheci o Mixxing por acaso, e olha, que surpresa boa! Esperando na beira da escada, na fila para entrar, eu e meus amigos nos olhávamos com cara de ponto de interrogação. Não dava para ter ideia do que íamos encontrar naquele lugar. Para quem nunca foi no Rio Comprido: o bairro não é conhecido por abrigar bares e locais badalados. Muito pelo contrário, eu diria. Além de ser residencial, é considerada uma região pouco amigável. O segurança de terno liberando a entrada deixava o ar ainda mais misterioso. Perguntei para ele antes de entrar como era o lugar, e recebi como resposta um sorriso acompanhado de “não vai se arrepender”. No fim do corredor, atrás da portinha, finalmente: o bar! O lugar é pequeno, é verdade, mas é bem aconchegante ou, como diriam os americanos, cozy. Duas mesas, algumas cadeiras e poltronas, um balcão e algumas banquetas altas. O terceiro ambiente é uma pista de dança com DJ. Os ritmos da noite foram variados, mas a pegada é mais alternativa com estilo indie e rock. Don’t Stop Believin’, da banda Journey, foi definitivamente o ponto alto da noite.

A casa comandada pelos mixologistas Alex Miranda e Lelo Forti abre apenas nas noites de sexta e sábado. Comida não é o forte do lugar, por isso a dica é ir de barriga forrada e gastar o dinheiro nos drinks. Os preços são justos e variam entre 25 e 30 reais. Então aproveitem! Destaque especial para o Moscow Mule deles. Eleito em 2016 como o queridinho do momento, o drink é servido em uma canequinha colorida e a receita leva vodca, ginger beer, limão e tem uma espuma deliciosa por cima. Eu pedi o primeiro e logo depois estavam todos dançando de bigode branco pelo lugar. (Olha ela lançando moda, né gente!). Do lado de fora, na varanda do casarão, ainda tem algumas mesinhas para os fumantes e quem quiser dar um break da música.

Além de oferecer noites com música e bebida, o Mixxing também promove cursos mensais para quem quer aprender um pouquinho sobre coquetelaria. A ideia é introduzir o aluno nesse universo de bar e ensinar um pouquinho sobre a história, análise sensorial e gustativo, atendimento, manipulação de alimentos, hospitalidade e empreendedorismo. Uma baita iniciativa dos donos da casa. Durante a noite cheguei a conversar com um deles (confesso que não sei bem se era o Alex ou Lelo, e depois de alguns Moscow Mules fica difícil mesmo lembrar de nomes rs), que me disse que a ideia era abrir uma filial em Botafogo – bairro que anda cada vez mais lotado de bares e restaurantes. Eu espero que a mudança não tire o charme do lugar, e eles consigam encontrar um endereço tão inusitado quando o atual.

Mixxing

Rua Aristides Lobo 229, loja 3, Rio Comprido — 2225-7555. Sex, das 19h às 3h. Sáb, das 20h às 4h. Entrada: R$ 10 (mulher) e R$ 15 (homem).

Comente