Skip to main content

Que venha 2017! Feliz ano novo!

Todo fim de ano é a mesma coisa, pode reparar: um monte de gente começa a falar “que ano ruim!”, “acaba logo ano”, “ano interminável!”… com 2016 não foi diferente! É claro que 2016 foi um ano complicado pra muita gente, com desemprego recorde no país, tragédias… não quero parecer egoísta só porque meu ano foi maravilhoso, mas acho que precisamos encarar a vida de outra maneira.

Todo ano tem seus altos e baixos. Todo ano tem dias ruins e bons. Todo ano morre gente que nunca morreu antes. Todo ano tem coisas inesperadas – surpresas boas e ruins! Assim é a vida! Constante em ser inconstante. Mas como olhamos e encaramos cada uma dessas surpresas é o que define o nosso viver. É claro que podemos ter dias, meses, fases “ruins”. Dias de luto também são necessários. Mas ei, aproveita! Você está aqui, 31 de dezembro, sobre-viveu, viveu-acima disso tudo!

Eu fiz um exercício de escrever, colocar no papel mesmo, uma lista de gratidão. Tudo o que eu sou grato em 2016. Qualquer coisa que viesse na cabeça. Fui grato pela minha saúde. Por correr uma Meia Maratona. Fui grato por ir à praia, conhecer novos lugares. Por viver uma Olimpíada em casa. Enfim, cheguei a 50 itens! Sim, eu sei que o exercício não é original, nem novo, e parece até meio bobo. Mas ao fazê-lo, você percebe quanta coisa boa viveu sim em 2016.

Além da gratidão, procurei responder diariamente em 2016 a uma perguntinha que também parece boba, mas não é: quando foi a última vez que você fez alguma coisa pela primeira vez?

As notícias e experiências ruins existem. Mas não podemos consumi-las mais do que as positivas. Há muita coisa boa acontecendo no mundo, só não aparece tanto! Por exemplo: os pandas gigantes saíram da lista dos animais ameaçados de extinção, sabia? A Lagoa de Araruama, antes considerada “morta”, voltou a ter peixes e águas cristalinas. A CNN “provou” que 2016 não foi o pior ano em mortes de celebridades… e mesmo em um momento de profunda dor como o acidente aéreo da Chapecoense, o povo colombiano e o mundo deram exemplos belíssimos de solidariedade e compaixão.

Com-paixão. Ter paixão por algo/alguém. Esse é meu desejo para 2017! Muita saúde para nós, para que possamos exercitar a compaixão! Para terminar esse 2016, gostaria de compartilhar duas passagens que adoro.

A primeira, uma famosa de Stephen Hawking: “However bad life may seem, there is always something you can do, and succeed at. While there’s life, there is hope.”

A segunda, de Harry Potter e o Cálice de Fogo, quando Hagrid comenta a volta de Lord Voldemort: “Bom, agora aconteceu, e vamos ter de conviver com isso. Vamos lutar. Não adianta a gente ficar sentado se preocupando. O que tiver que ser será, e nós o enfrentaremos quando vier.”

Valeu, 2016! A minha gratidão eterna por tudo que eu pude viver nesses 366 dias! Que venha 2017, com muita saúde, gratidão e respostas para a perguntinha do meio do texto! Feliz ano novo!

Foto em Destaque: RioTur

Greg

Greg

Carioca, mangueirense, jornalista formado pela ECO-UFRJ.

2 thoughts to “Que venha 2017! Feliz ano novo!”

Comente