Skip to main content

Carta para o Futuro

Olá, Futuro,

Dizem que você é inatingível. Que quando vai chegar, já não é mais você. Vira seu irmão, o Presente.

Não chegamos em você, mas estamos próximos. É que como a gente não pode te tocar, a gente dividiu o Presente em vários momentos de virada, quase-Futuros. Doideira, né? Hoje é o último dia do ano e você, Futuro, parece assim… pertinho, logo ali! E quando a gente for te tocar…. você já terá virado Presente. Mas a gente teima em ficar tentando te encontrar. E sabe, foi essa teimosia que nos trouxe até aqui.

Sabe, Futuro, a gente aprendeu a olhar para o irmão mais velho de vocês, o Passado, para tentar te entender. E a gente achava que o ano passado tinha sido o mais difícil de todos, que em 2021 tudo ia ser diferente… mas esse ano foi justamente tudo o que a gente teve medo que 2020 fosse. Terminamos 2020 com quase 200 mil mortos pela pandemia e vamos terminar agora com quase 620 mil vidas perdidas – 420 mil nesse ano, mais do que o dobro do ano passado. Logo em janeiro já tivemos falta de oxigênio nos hospitais; tivemos atraso na compra de vacinas; tivemos suspeita de propina na compra de outras; falta de auxílio estatal, pobreza, fome mesmo.

Foi nossa teimosia em viver, no meio a tanta morte, que nos fez chegar tão perto de você mais uma vez, Futuro.

Mesmo com algumas das principais vozes do país pregando contra a vacina, nós formamos filas atrás delas. Nós aplaudimos os caminhões que as trouxeram. Sabe, Futuro, a gente elogia tanto o que funciona lá fora, mas dá muito orgulho do nosso povo ao ver que se tiver vacina no postinho, nós vamos lá tomar. E não só a contra a Covid… falaram que era pra tomar a da gripe também e lá fomos nós acabar com o estoque dela também! Não é por acaso que passamos várias nações do “mundo desenvolvido” em número de vacinados na pandemia. Usamos máscaras, mesmo liberadas… incorporamos o álcool em gel, mesmo não tendo sido treinados para isso ao longo de toda a vida. Fizemos campanhas de doação de alimentos, bens, resgatamos vizinhos em enchentes, ajudamos uns aos outros e nos solidarizamos. Fizemos, em nome da vida e em esperança por alcançá-lo, Futuro, o que os que deveriam fazer por nós não fizeram. Nossa teimosia na vida foi por todos os que não tiveram a mesma sorte, por todos os que não estão mais aqui.

Já teve um tempo em que eu sempre pedia para você vir suave. Leve. Isso ficou para trás. Agora, Futuro, te peço o contrário. Venha em movimento. Ação. A gente não aguenta mais como o seu irmão, o Presente, está. Você precisa vir e dar uma mexida nele. Uma boa mexida. A gente precisa que você traga um banho de afeto, de empatia, de amor ao próximo e à vida. De respeito e ajuda aos mais vulneráveis.

Eu te peço pra que venha com o seu outro irmão, o Passado, na memória. Para que ninguém esqueça das barbáries que aconteceram e estão acontecendo. Para que não se repitam, em você, quando Presente for, o negacionismo e as ideias medievais a que tivemos que nos acostumar. O Passado tem que servir de aprendizado justamente para te exaltarmos, Futuro. Nunca para exaltar esse seu irmão, ultra-passado, que deveria estar fora de moda. Devemos ficar felizes ao ver que hoje sabemos que a Terra não é plana, que não é o centro do Sistema Solar, que houve Ditadura no Brasil que violou os direitos humanos e que vacinas são seguras e eficazes contra vírus. Reconhecer isso e não esquecer nunca é algo positivo, é vivenciar o Futuro; exaltar e trazer de volta o que já deveria ser ponto pacífico é retrocesso, é ficar preso no Passado e distante de você, Futuro.

Futuro: que você, ao virar Presente, traga vida. Comida. Bom senso. Novos ventos. Figurados e também esses mesmos que estão cada vez mais escassos, porque temos cada vez menos árvores em pé…

Sabe, Futuro… se eu pudesse pedir uma única coisa para você, agora que te vejo tão perto, seria “simples”: VEM. Nos liberte desse Presente que insiste em ser Passado. Damos aula na vacinação, podemos ser pioneiros no respeito ao meio-ambiente, no desenvolvimento sustentável, e em todas as questões que já são e serão importantes em você, Futuro. Você está brilhando, como uma estrela numa noite de lua nova, e eu te prometo: vamos te alcançar!

Feliz 2022! Saúde, paz e #VacinaParaTodos! VEM, Futuro!

Abraços,

Gregory.

31/12/2021

Agulha e recipiente para vacina contra a Covid-19 sendo seguradas por uma mão com luva azul.
Viva a vacina! O melhor de 2021.

Foto em destaque: Fernando Maia | RioTur

Greg

Carioca, mangueirense, jornalista formado pela ECO-UFRJ.

Comente