Skip to main content

Brasileirão 2017: Previsões para o futuro!

Vai começar o Campeonato Brasileiro de 2017! Como já virou tradição no blog, chegou a hora de fazer a brincadeira de tentar prever como serão as campanhas dos 20 times da Série A. Vem conferir e deixar os seus palpites!

Antes de tudo, eu sempre gosto de registrar que é muito difícil fazer essas previsões, pois o Brasileirão vai de maio a dezembro. Os times vão contratar e perder jogadores e técnicos durante todo o campeonato. Mas, afinal, essa é a graça: chegar ao final do ano e comparar os resultados com as previsões!

Você pode relembrar meu desempenho nos anos passados aqui (2015) e aqui (2016).

Vamos ao que interessa: as previsões para 2017!

Fiz pequenos ajustes nas categorias por causa do G6 para a Libetadores. Agora, o 5º e o 6º colocados do Brasileirão vão para aquela fase de “mata-mata” anterior à fase de grupos, que vou chamar aqui de “Pré-Libertadores”. As categorias são:

***** – Briga por título (no meu entender, fica entre 1º e 4º, mas sempre frequentando o G4 do campeonato)

**** – Briga por Libertadores (fica entre 3º e 9º – lembrando que agora temos um G6 para a Libertadores: o 5º e o 6º vão para a “Pré-Libertadores”)

*** – De férias em Novembro (fica entre 9º e 13º)

** – Deve ficar, mas pode brigar para não cair (fica entre 13º a 18º)

* – Briga para fugir do rebaixamento (fica entre 15º a 20º)

Análise dos times em ordem alfabética:

Atlético-GO: Após fracassar no Estadual, está se reconstruindo às vésperas do Brasileiro (treinou por 15 dias e estreou 5 jogadores na última partida antes da 1ª rodada – empate em 0 a 0 contra os reservas do Flamengo, pela Copa do Brasil). E justamente por ser um reinício de trabalho com o campeonato prestes a começar, as coisas podem se complicar para o Dragão: se não der liga, o tempo é curtíssimo para novos ajustes. * – Briga para fugir do rebaixamento

Atlético-MG: Victor, Leonardo Silva, Elias, Robinho e Fred. O técnico Roger Machado tem um belo time nas mãos! A grande questão é se o Galo vai ter elenco e preparo físico para dividir as atenções entre tantas competições simultâneas. O campeão mineiro joga Libertadores, Copa do Brasil e Brasileiro tudo junto e talvez precise optar por priorizar alguma das competições, o que pode acabar fazendo-o perder pontos importantes na Série A.  Mesmo assim: ***** – Briga por título

Atlético-PR: Chega ao Brasileirão em um momento conturbado. Além de perder a final do Paranaense para o rival Coritiba, se complicou na Libertadores ao perder em casa para o San Lorenzo. O time parece ter atingido “o auge” cedo demais no ano e agora deu uma caída, mas ainda está vivo tanto na competição continental quanto na Copa do Brasil. Assim como o Atlético-MG, se for avançando nessas competições, talvez precise abrir mão de usar a força máxima em algumas rodadas do Brasileiro, podendo prejudicar a campanha. *** – De férias em Novembro

Avaí: Diferentemente dos últimos dois times, o foco do Avaí está na Série A, o que pode render uma boa vantagem nesse início de competição. O grupo já se conhece há um bom tempo, então é mais um ponto a favor do time de Santa Catarina. O mais interessante é que o próprio grupo não esconde que a meta é chegar aos 45, 46 pontos e ficar na primeira divisão. * – Briga para fugir do rebaixamento

Bahia: Vem de uma sequência muito equilibrada de clássicos contra o Vitória: perdeu no Estadual, mas avançou na Copa do Nordeste. Chegou nas finais das duas competições (ainda podendo ser campeão da “Lampions League”), mas o problema é que nenhuma das duas competições é parâmetro para a Série A. ** – Deve ficar, mas pode brigar para não cair

Botafogo: O alvinegro vem quebrando todos os que tentaram fazer previsões sobre ele desde o ano passado. Apesar da campanha ruim no Carioca, que tem pouca importância, o Botafogo vem bem na Libertadores, a prioridade do ano. O trabalho do Jair Ventura, apesar de erros pontuais em jogos, é excelente. Mais uma vez, a “atenção dividida” pode custar uns pontos importantes ao time no Brasileirão. A conferir. *** – De férias em Novembro

Chapecoense: Conseguiu se reerguer em tempo impressionante, conquistando o estadual (o título em si não significa muito, mas o “ressurgimento” sim). Como nos outros anos, tem que continuar sendo muito forte em casa para não passar sufoco no Brasileiro. ** – Deve ficar, mas pode brigar para não cair

Corinthians: Vou colocar como **** – Briga por Libertadores, mas é pra mim um dos que podem surpreender a opinião geral e disputar título. Explico: não vai entrar no campeonato nem com os holofotes nem com a pressão de Palmeiras, Flamengo e Atlético-MG, por exemplo. O time foi dado como “quarta força de São Paulo”, mas já provou que está bem acertado (tanto que ganhou o Paulista – o que não quer dizer muito, mas…). Além disso, não divide a atenção com muitas competições (tem só a Sul-Americana para disputar) como os rivais e pode sair com boa vantagem.

Coritiba: Nos últimos dois anos, brigou para não cair. Esse ano o sinal de alerta foi ligado com a eliminação precoce na Copa do Brasil, mas depois o título estadual amenizou um pouco o clima. O problema é que estaduais não costumam ser parâmetro para quase nada quando começa o Brasileirão. ** – Deve ficar, mas pode brigar para não cair

Cruzeiro: O time que vinha até razoavelmente bem vai começar o Brasileiro em um inferno astral, graças a uma semana para esquecer. No domingo, perdeu o título estadual para o rival Atlético-MG; na quarta, sofreu a virada e foi eliminado na Sul-Americana nos pênaltis para o modesto Nacional do Paraguai. Mano Menezes precisa rapidamente recolocar o time no eixo e tem a dificuldade de fazer isso com o campeonato em andamento. *** – De férias em Novembro

Flamengo: É um dos favoritos ao título brasileiro. Zé Ricardo, desde o ano passado, faz um excelente trabalho. O rubro-negro é um time muito difícil de ser batido, praticamente não perde jogos. A consistência da proposta de jogo está aliada a uma melhora de qualidade do elenco em relação aos últimos anos. Guerrero vive a melhor fase no clube, fazendo gols decisivos (foi o artilheiro do Carioca na campanha de campeão invicto do Flamengo). Diego é um dos melhores jogadores em atividade no Brasil. Um porém: assim como outros times, o Flamengo está disputando diversas competições ao mesmo tempo, o que pode prejudicar o foco no Brasileirão. A conferir como vão jogar “reforços” que já estão no clube, como Éderson, Conca e o garoto Vinícius Jr. Se “funcionarem”, o elenco vira um dos melhores do Brasil e com chances de disputar em alto nível todos os torneios do ano. ***** – Briga por título

Fluminense: É impressionante a evolução que o tricolor teve em tão pouco tempo desde a chegada do técnico Abel Braga. O grande problema é que a equipe é jovem e ainda é muito instável, principalmente nos jogos mais decisivos (como as finais do Carioca e a derrota – que não custou a classificação – para o Liverpool do Uruguai). Além disso, Gustavo Scarpa faz muita falta e o Estadual não pode ser usado como parâmetro. Até onde pode ir esse Fluminense? Se jogar completo é de um nível, mas e se tiver novos desfalques durante a competição? Mesmo com essas dúvidas, acho que **** – Briga por Libertadores

Grêmio: O mesmo problema de outros times: vai jogar Libertadores, Copa do Brasil e Brasileiro ao mesmo tempo. O tricolor não parece ter um elenco tão robusto como os rivais que estão nessas condições, mas a eliminação no Campeonato Gaúcho pode ter sido um bom sinal de alerta. **** – Briga por Libertadores

Palmeiras: O que prever para o atual time campeão brasileiro, que acaba de trazer de volta Cuca, o atual técnico campeão brasileiro? É claro que ***** – Briga por título. Mesmo com a situação de jogar as várias competições ao mesmo tempo, o alviverde tem elenco (e dinheiro para buscar reforços se for necessário ao longo da temporada).

Ponte Preta: Fez um bom Paulista até parar no Corinthians na final. O time passa por alguns ajustes, como a espera pelo condicionamento físico de Emerson Sheik e a adaptação à saída do artilheiro Pottker. Gilson Kleina terá que arrumar a equipe com o campeonato em andamento, sempre um problema. ** – Deve ficar, mas pode brigar para não cair

Santos: Lucas Lima começa o campeonato em boa fase. Dorival Jr. conhece o clube e o grupo como ninguém. Méritos para a diretoria, que foge da “regra” do futebol brasileiro e mantém o treinador há quase 2 anos (desde julho de 2015). Eis os pilares do alvinegro, que vem fazendo campanhas consistentes na Copa do Brasil e na Libertadores (vale deixar registrado que é mais um clube com o alerta ligado para várias competições em disputa simultaneamente). ***** – Briga por título

São Paulo: Pra mim, o tricolor paulista é ao lado do Vasco a grande incógnita deste Brasileirão. Se olhar os nomes do time, qualidade o São Paulo tem. Mas como será a primeira Série A de Rogério Ceni como técnico? Nessa função, a experiência do ídolo tricolor é quase nenhuma. E como a torcida vai reagir se acontecerem tropeços, se os resultados começarem a não aparecer? Vai ter paciência? E a diretoria? Curioso para acompanhar essa campanha do São Paulo. **** – Briga por Libertadores

Sport: Começa a Série A em uma situação parecida com a do Bahia: está na final do estadual e da Copa do Nordeste, mas as duas competições não são muito parâmetros para o Brasileiro. A principal diferença do rubro-negro pernambucano para o tricolor baiano é a qualidade individual de seus jogadores, que é maior, e tem em Diego Souza o astro da companhia. ** – Deve ficar, mas pode brigar para não cair

Vasco: O que esperar do Vasco neste campeonato? O início do ano foi desanimador, mas o técnico Milton Mendes teve 21 dias para arrumar a casa e preparar o time para o Brasileirão. Aconteça o que acontecer, o Vasco simplesmente, como instituição que é, não pode cair de novo. Essa tem que ser a única missão do clube no ano. E vai ser preciso humildade para torcida e jogadores reconhecerem e não se envergonharem de lutarem por isso. ** – Deve ficar, mas pode brigar para não cair

Vitória: Apesar da ótima campanha no Baiano, que terminou com o merecido título de campeão, o rubro-negro foi eliminado pelo rival Bahia na Copa do Nordeste e demitiu o técnico Argel Fucks. A contratação de Petkovic (primeiro como diretor de futebol e depois anunciado como técnico) é uma aposta razoável, mas preocupa muito a troca de técnico e o início de um novo projeto com o campeonato começando. * – Briga para fugir do rebaixamento

O que achou das minhas previsões? Concorda? Discorda? Faça as suas, poste nos comentários e vamos comparar em dezembro!

Foto em Destaque: Autor não identificado

Greg

Greg

Carioca, mangueirense, jornalista formado pela ECO-UFRJ.

Comente